terça-feira, 21 de outubro de 2008

Le Mans: Bentley 4,5 Litres (nº4) 1928







O lado direito do Bentley

O Bentley vencedor segundo Jorge Curvelo


O Bentley na boxe

O lado esquerdo do Bentley

O abastecimento na boxe


O regulamento auxilia a participação, diminuindo as taxas de inscrição. termina também, com as vinte voltas obrigatórias dos carros correrem com capota.Cria-se a possibilidade de surgirem os primeiros motores sobrealimentados ou com compressor. A classificação geral À DISTÂNCIA, ganha a importância que, ainda hoje detêm, com prémios monetários importantes.Se, até aqui Le Mans se tinha circunscrito à luta pela supremacia entre as marcas francesas, contra alguns dos ingleses, desta vez tudo é diferente. A vitória vai discutir-se entre outros dois "colossos": USA e GB.Para mais empolgar o público, o Stutz americano é entregue a uma equipa de pilotos franceses e que, durante as primeiras horas vão aguentar sem complexos, o poderio dos novos Bentley 4,5L.A prova desenrolou-se num entusiasmo fantástico, o Stutz e os Bentley pulverizavam todos os tempos e o comando mudava consoante as paragens nas boxes.De resto, o Bentley vencedor pilotado por Woolf "Babe" Barnato e Bernard Rubin terminou na mesma volta que o Stutz, realizando ambos uma média superior aos 110 Km/h, e separados - ao fim de 24 horas - por apenas 12,678 km.O record da volta foi largamente batido para 8m07s à média de 127.604 por Birkin, que no Bentley nº3 foi quinto da geral.terminaram classificados 17 carros, dos quais 13 ultrapassaram a barreira dos 2000 kms.de assinalar que um Alfa Romeo inscrito não passou nas verificações por ser consiedrado "demasiado desportivo" e não obedecer portanto à regra de "Confortável" que o carro comercial devia oferecer...
Pela primeira vez há mais pilotos estrangeiros que franceses; 17 contra 16.
Primeira vitória de Woolfe "Babe" Barnato e Bernard Rubin, que pilotaram um Bentley.
Texto : Le Mans History
Fotos : Le Mans History e Jorge Curvelo

A miniatura em 1/43 é da Brumm.

Sem comentários: