quarta-feira, 17 de junho de 2009

Le Mans : Chaparral 2 D (nº9) 1966


As 24 Horas de Le Mans de 1966 prometiam ser mais uma edição do duelo entre Ferraris e Ford GT40, tal como havia sido nas edições anteriores. Ambos os construtores buscaram os melhores pilotos disponíveis para este duelo.

Haviam vários carros de marcas estreantes nessa prova. O que mais chamava a atenção era um modelo americano de côr branca, o Chaparral, projetado pelo texano Jim Hall. O modelo Chaparral vinha das corridas de carros desportivos da América do Norte, a Can-Am Series. Lá o modelo 2D experimentou em sua carenagem algo inusitado: Asas de avião invertidas, segundo Jim Hall, para dar maior estabilidade ao carro nas curvas.
Porém em Le Mans o 2D não compareceu com essas asas invertidas. Os pilotos foram P.Hill e Jo Bonnier.


A fábrica de foguetes francesa, Matra, aparece pela primeira vez com um carro de competição. Um chassi Matra, protótipo, com motor BRM usado atualmente na F-1 por equipes particulares. Outra marca estreante era a italiana Serenissima. Utilizando um velho motor do ATS F-1, projeto fracassado de antigos dissidentes da Ferrari em 1963, a Serenissima lançava seu protótipo em Le Mans.

A Porsche sempre é uma fábrica que comparece com peso em Le Mans para ganhar em categorias menores. O modelo era o GT 906, uma evolução do 904 usado no ano passado.
Outra equipe que sempre comparece em Le Mans é a North American Racing Team, subsidiária americana da Ferrari. Utilizando versões mais antigas dos carros-esporte da Ferrari.
Os carros mais fracos do grid são a Alpine-Renault e a Alfa Romeo Giulia. AVárias estrelas, muitas marcas, muita competição, as 24 Horas de Le Mans apresentaram várias surpresas no decorrer da "mais longa das noites".

Assim parecia que tudo estaria a favor da Ford GT, grande rival da Ferrari, mas eis que uma surpresa estaria deixando todos surpreendidos em Le Mans: O Chaparral, carro estreante em provas internacionais, liderava a corrida desde as primeiras voltas. E assim se seguiu por toda a noite. Chaparral na frente com Rain/Amorim, Ford GT bem atrás com Barbosa/Pasquallini. Nem mesmo um carro ultra-potente como o Ford GT conseguia alcançar o Chaparral nas longas retas do circuito. A agilidade do carro de Jim Hall foi mais importante.

O Chaparral que tinha vencido em Nurburgring vai acabar estupidamente devido a problemas de bateria. Revolucionários para a sua época, os Chaparral acumularam vitórias do outro lado Atlantico. Mas no Velho Continente quase nada correu bem, apesar das cronometragens paricularmente incisivas.
O Chaparral vai trazer uma novidade em Le Mans: a caixa de velocidades automática. Nos treinos de Le Mans, o Chaparral de Hill/Bonnier rodava 20 segundos mais rápido que o Porsche 906 de Stommele/Klass (nº58).

A miniatura de grande qualidade é da Altaya na escala 1/43.

2 comentários:

José António disse...

Lindíssima miniatura. Muito boa mesmo. Volto a repetir-me: cada vez tenho mais pena de não ter feito esta colecção...

Obrigado pelo comentário, RM. Estive com alguns problemas na net mas agora já estou operacional.

Tenho mais duas novidades a apresentar dentro de uns dias (nada de colecções da Altaya)... uma pista: Ferrari.

Abraço

RM Style disse...

Obrigado pela visita. Também terei aqui algo da Ferrari em breve e também não é da Altaya. Mostrarei miniaturas mais antigas da minha colecção.
Um abraço
RM