terça-feira, 6 de novembro de 2012

Le Mans : Aston Martin DBR9 (nº009) 2006










A participação portuguesa nas 24 Horas se Le Mans 2006 foi uma das mais interessantes até de sempre, embora não tenha sido a mais numerosa [4]. A figura principal era obviamente a presença de Pedro Lamy ao volante do Aston Martin DBR9 oficial, no entanto, a novidade seria a participação, pela primeira vez, de uma equipa portuguesa e logo na LMP2, a categoria 2 de Le Mans – a ASM Team.Pedro Lamy, estrela principal do panorama automobilístico português dos últimos anos, regressava de novo a Le Mans integrada na equipa oficial da Aston Martin. A Aston, que tão boa conta de si tinha dado nas provas de endurance da Europa, sempre que se deslocava à América, acabava por ser regularmente batida pelos Corvette C6-R da americana Corvette Racing. A Prodrive, preparador dos DBR9, realizou várias alterações no GT britânico com vista a melhorar a sua performance. Por outro lado, a Aston decidiu também, mas apenas para a corrida de Le Mans, substituir o seu fornecedor de pneus, trocando os Pirelli (que eram pouco competitivos na terra do tio Sam) pela Michelin. Estas alterações provaram-se acertadas logo nos treinos conjuntos, com ambos os Aston Oficiais a bater o melhor Corvette por 2 segundos. Enge (Cz)/Piccini(Ita)/Turner(GB) no Aston Martin DBR9 nº007 fica com o melhor tempo, enquanto que Lamy, acompanhado do francês Stephane Sarrazin e do monegasco Stephanne Ortelli no Aston nº009 com o segundo melhor tempo.A performance repetiu-se nas qualificações, assim como as posições. Tudo parecia correr de feição para a Aston Martin vingar-se das humilhações com que a Corvette a tinha brindado nas corridas da ALMS. Logo no arranque, Pedro Lamy, ao volante do Aston nº009, surpreende o seu companheiro de equipa e coloca-se na frente da corrida dos LMGT1, com o Corvette nº 64 de Gavin (GB)/Beretta (Mon)/Magnussen (Din) logo a seguir, passando o português ao fim de 5 voltas e mantendo-se no comando durante 6 horas em ritmo de sprint, com o DBR9 nº009 nunca a mais de 1 minuto de distância (tirando as alturas das idas às boxes para mudança de pneus e reabastecimento). Passadas essa 6 horas, e de novo com Lamy ao volante, o Aston volta de novo à liderança mas com o Corvette nº64 também sempre por perto, à procura de uma falha do Aston nº009. E assim se manteve até ao meio da prova, altura em que Ortelli, e depois Lamy, começam a cavar um fosso de 1 volta, que lhes permitia um pouco de margem de manobra. No entanto, um verdadeiro golpe de teatro ainda estaria para acontecer.A 3 horas do fim da prova, e quando todos já esperavam por uma vitória do Aston Martin nº009, e a primeira de um piloto Português em Le Mans, seguindo ainda na 4ª posição geral, um problema de embraiagem obriga-os a uma paragem de 50 minutos nas boxes. Estava desfeito o sonho. O Aston ainda volta à pista e acaba a corrida, mas o 4º lugar da LMGT1 e 10º da geral, sabe a pouco depois de ter estado com a vitória na mão. A classe acabou por ser ganha pela sombra de Lamy/Sarrazin/Ortelli – o Corvette nº 64.


Texto: AutoSport
Fotos : Le Mans History
A miniatura é da Colecção da Altaya "Lendas de Le Mans" e é fabricada pela Ixo Models (1/43)

Sem comentários: