quinta-feira, 2 de julho de 2009

Le Mans : Toyota TS 010 (nº33) 1992



Se não fossem os franceses e o seu 905, a Toyota teria sem dúvida realizado o seu sonho em 1992: vencer as 24 Horas de Le Mans. O TS 010 (de Toyota Sport) teve de se contentar com o segundo lugar do pódio.

Com a tecni, que venceram todas as provas cidade superior desenvolvida pelos motores V10 em Fórmula 1, a Toyota mostrou vontade de aumentar a parada. A fábrica desencaminhou Tony Southgate (o "S" da Arrows), que trabalhava co Tom Walkinshaw, para coceber um carro novo. Southgate tinha no seu activo os recentes Jaguar do Grupo C, que venceram tudo em provas de resistencia em finais de 1980, principios de 1990, e que parecia o mais indicado para tirar o melhor partido das regras estabelecidas pela FIA.

Actualmente , a toyota diz que o TS 010 imaginado por Southgate não tinha, na verdade, quaisquer pretensões à vitória em Le Mans. Era sobretudo um trampolim para entrada para a Formula 1, ao possibilitar tanto um ganho de experiencia como um progresso ao nível de concepção técnica. Mas temos razões para duvidar destas afirmações.

O TS 010 estreiou-se em 1971 em Autopolis com um sexto lugar. Em 1992, ao longo da temporada, viu-se sempre um TS 010 no pódio, salvo em Silverstone, onde, apesar do avanço confortável, a tripulação anglo-japonesa teve de parar por causa de uma avaria na alimentação, dando a vitória à...Peugeot!

Efectivamente os carros do País do Sol Nascente foram sistematicamente dominados pelos franceses à semelhança do que se pode ver em Le Mans. Em La Sarthe, foi necessário rever as cópias dos carros que só disputavam as corridas de 500 km (1000 km em Suzuka). A Toyota fez baixar a potencia dos seus carros em cerca de 100 cv.

Nos treinos, o regulamento autorizava a utilização dos T-Cars, que permitiram obter os minimos segundos sem se usarem os modelos destinados à própria corrida. Na grelha , os Peugeot nº1 e nº2 encontravam-se à frente dos três TS 010 mas com apenas 5 segundos de vantagem relativamente ao Toyota nº7 de Lees para o 1º lugar. Só se apresentaram 28 caros à partida.
Grande parte da prova foi realizada debaixo de chuva. Manifestamente, em piso molhado, os pneus Goodyear não estavam à altura da concorrência, e os carros japoneses foram perjudicados por isso. Só quando a chuva parou é que os TS 010 nº8 e nº33 conseguiram mostrar o que valiam: numa pista húmida , revelaram-se mais rápidos, mas bastante atrasados em relação aos dois Peugeot da liderança.

No entanto, uma série de peripécias próprias da corrida deixaram o suspense em aberto. Efectivamente, a humidade acabou por fazer mossa no feixe eléctrico do 905 nº1 que seguia na frente, e que chegou a parar, voltando a partir conservando a sua posição, depois de ter mudado a bateria e a caixa electrónica em dez minutos.O Toyota nº33 ficou na segunda posição e o piloto Masaroni Sekiya que fazia equipa neste carro com Pierre-Henri Raphanel e Kenny Acheson foi o primeiro piloto japonês a subir ao podio das 24 Horas de Le Mans.
A miniatura na escala 1/43 pertence à Altaya. Veja parte de um filme sobre esta edição de Le Mans.




2 comentários:

José António disse...

Bom dia!
Muito bonita, esta miniatura do Toyota... não conhecia, mas está de facto linda.
A sua colecção está cada vez melhor. Parabéns!

RM Style disse...

Obrigado.
A intenção, muito devida à influencia do seu blog, criar um local onde para além de se mostrar a miniatura se fale do original.
Um abraço
Rui Marinho