quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Le Mans : Porsche 917 K (nº21) 1970






Em 1970 a Porsche vem a Le Mans com oito 917 para combater onze 512 S da Ferrari. Era também uma pequena "guerra" entre os Porsche Gulf oficiais de John Wyer e os KG Salzburg financiados por Louise, a mãe de Ferdinand Piech, sobrinho de Ferry Porsche. Foi Ferry o autor da ideia do modelo de cauda longa que John Wyer não aprovava.

Para não restarem dúvidas , os bólides alemães e italianos ocuparam os catorze primeiros lugares na grelha da partida. No entanto o 917 K nº24 de Steineman/Spoerry qualificado na 14ª posição, desistiu antes da partida.

Um dos carros que participou nesse ano foi o nº21 (chassis nº16) de Rodriguez/Kinnunem beneficiou de um pequeno deflector entre os dois guarda-lamas traseiros que possibilitou uma sustentação igual para um Cx melhorado.

Infelizmente teve que abandonar na sua vigésima terceira volta depois de uma ruptura do veio de accionamento da turbina de refrigeração. A prova foi ganha pelo Porsche nº23 da equipa KG Salzburg.

A miniatura está bastante razoável mas as entradas de ar no capot traseiro (ver foto) que este nº21 possui aparecem em decalque o que tira um pouco de veracidade ao modelo (o Spark tem) e o emblema Gulf no deflector não aparece nas fotos que possuo.
Para ver o carro original carregue no titulo.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Le Mans : Simca Abarth 1300 (nº43) 1962





Foi uma mistura explosiva franco-italiana-austríaca que deu azo à construção do Simca-Abarth 1300, uma berlineta surgida em 1962. Com o seu pequeno motor de 1300 cc, esta pequena bomba era capaz de alcançar os 230 km/h!

Quando Amédée Gordini trocou a Simca pela Renault com o objectivo de prosseguir nas suas preparações destinadas à competição, o presidente director-geral da firma andorinha decidiu que, depois das contas feitas, fazer falar da sua marca em competição (a Simca tinha sido criada pela Fiat para escoar a sua produção em França) seria um excelente exercício promocional.

Quando o seu engenheiro Rudy Hruska lhe apresentou Carlo Abarth (Carlo foi o nome que o austríaco Karl adoptou após se naturalizar italiano), Henri-Théodore Pigozzi pôs-lhe à disposição todos os meios da Simca para trabalhar para ele .



Foi na Primavera de 1962 que surgiu o Simca Abarth 1300 GT no Salão do Automóvel de Genebra, ao lado do novíssimo Simca 1000 Coupá. Em princípios de Abril, durante os ensaios com vista às 24 Horas de Le Mans, o 1300 deu sinais evidentes de potencia do motor, mas a estabilidade também foi uma revelação tanto para os pilotos como para os homens da cronometragem. Na corrida propriamente dita , a Abarth apresentou dois Fiat Abarth 700 e três Simca Abarth 1300 com piloto de topo ao volante. Ao seu lado, Roder Masson fez alinhar outro 700 enquanto a Equipa Nacional Belga inscreveu um quarto 1300 GT.


Os Abarth oficiais eram facilmente reconhecíveis entre todos graças à sua "farda" ornamentada com um grande escorpião. A campanha de 1962 em Le Mans poderia ter sido uma autentica catástrofe mas o Abarth belga de Dubois e Harris conseguiu terminar a prova destacando-se no meio dos monstros de corrida terminando na quadragésima posição da geral e uma indiscutível vitória na classe. (texto Altaya)


A miniatura é da Altaya fabricada pela IXO na escala 1/43 e o resultado está bastante bom como é perceptível pelas fotos embora as jantes pudessem ser mais perfeitas.

Le Mans: Ford GT 40 (nº12) 1968






Em 1968 a Ford vinha a Le Mans para vencer e os GT 40 eram a arma. Acabou por ser o Ford Gulf que conseguiu dar essa vitória mas em extremis.
A miniatura aqui apresentada é do carro nº12 que desistiu devido a problemas de embraiagem. A miniatura está bem conseguida e pertence à colecção da Altaya fabricada pela IXO na escala 1/43. Para aceder a fotos do carro original clique no titulo.